Onde tudo começou: ex-aluna Roberta Ratzke visita Núcleo do Instituto Compartilhar

A jogadora da seleção brasileira feminina de voleibol e medalhista olímpica, Roberta Ratzke, visitou nesta quarta-feira, 18, o Núcleo Central do projeto Vôlei em Rede, localizado na cidade de Curitiba/PR. O encontro foi uma surpresa para os alunos que estavam em aula no momento e rendeu largos sorrisos!

Roberta é a primeira ex-aluna do Compartilhar a chegar em uma Olimpíada. Sua carreira no vôlei começou quando ainda era criança, em 1998, dentro dos projetos da Instituição. Para a atleta, a emoção de receber a medalha dentro dos Jogos Olímpicos de Tóquio foi muito grande: “eu nem sei explicar muito bem o que eu senti, só sei que eu amei aquele momento. Na hora que eu botei a medalha na mão, passou um filme na minha cabeça! Tudo o que eu passei para estar ali, meus choros, minhas alegrias, vitórias, frustrações. Eu não conseguia nem pensar se eu tinha perdido, se estava com a medalha de prata ou de ouro. Eu só sabia que era minha e que eu tinha batalhado tanto para conquistar estar ali. Me fez ver que tudo valeu a pena, foi muito maravilhoso”. E ainda complementou:

“Eu não imaginava chegar tão longe. No começo era só diversão, eu gostava de estar ali jogando, brincando. Depois comecei a ir para clubes e foi ali que eu vi que eu realmente queria o vôlei como carreira. E todos os ensinamentos do projeto, eu levei junto comigo. Porque não são só os toques, as manchetes, as aulas não são somente as técnicas do vôlei. A gente aprende que é preciso ter respeito, empatia, saber a conviver em grupo, você entende que ali não é só o seu espaço. São esses valores que a gente aprende quando é pequeno, seja em casa ou seja em um projeto como esse que fazem a diferença. Você precisa entender a hierarquia, o seu lugar na equipe, e isso, é para a vida também”.

A jogadora é um exemplo para a garotada. Conversou com as crianças, jogou bola com elas, tirou fotos, autografou as camisetas. E, além de tudo, deixou os pequenos pegarem na medalha de prata, dando aquele incentivo para quem um dia queira chegar no mesmo lugar: “conhecer a Roberta é sensacional. Nunca imaginei ter uma oportunidade como essa. Ela é uma pessoa maravilhosa, uma jogadora excelente e batalhadora. É um modelo pra gente. Nunca vou esquecer este dia”, acrescentou o aluno, Murillo Ryan Ferreira Silva de 15 anos.

Murillo, que está no projeto desde os seus 10 anos e já conquistou quatro medalhas no esporte, conta que quer seguir carreira e que o vôlei mudou tudo: “o projeto mudou a minha forma de pensar, você aprende a respeitar as pessoas, a conviver em sociedade. E você leva isso para a sua casa, e aprende que precisa se dedicar em tudo. O vôlei é energia, amor, conexão com as pessoas. Eu peço todo dia a Deus uma oportunidade para crescer e mudar a vida da minha família. O vôlei me permite sonhar, me relacionar melhor com as pessoas e evoluir cada dia um pouco”.

Quer fazer parte desta transformação pela educação e pelo esporte?

Apadrinhe nossas crianças! Acesse:

Parceiros do projeto Vôlei em Rede, Núcleos Paraná: Governo do Paraná/Secretaria da Educação e do Esporte, Lei Federal de Incentivo ao Esporte, Itaú, Colégio Positivo, Klabin, Stone, Bosch, Rumo, Instituto Joanir Zonta/Condor, Unimed Curitiba, Rumo, Berneck, Schattdecor, Itambé, Sysmex, Arotubi, Alfama e Governo Federal/Ministério da Cidadania/Secretaria Especial do Esporte.

 

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.