Jogos competitivos, concurso de fotos e oficina sobre crimes cibernéticos marcaram evento realizado para os alunos da categoria Vôlei do Núcleo Central – Curitiba/PR

Torneio promove interação digital: concurso premia com uma bola de vôlei autora da foto que conquistou o maior número de curtidas.
Torneio promove interação digital: concurso premia com uma bola de vôlei autora da foto que conquistou o maior número de curtidas.

No dia 21 de outubro o Núcleo Central – Curitiba/PR do projeto Vôlei em Rede realizou um evento com uma proposta bem diferente e que teve tudo a ver com o dia a dia da garotada que é ligada na internet. Além de participar de jogos com caráter competitivo, os adolescentes da categoria Vôlei (14 e 15 anos) ainda puderam postar fotos em uma conta especial criada na rede social Instagram para concorrer a um prêmio especial e aprender sobre os perigos do meio on-line na oficina de crimes cibernéticos. Ao todo, 86 alunos marcaram presença no campus da Secretaria do Estado do Esporte e do Turismo, sede das aulas de minivôlei.

Antes de começarem os jogos, os adolescentes receberam algumas dicas de como tirar boas fotos no Instagram para participarem do concurso como, por exemplo, ser criativo (a) e transmitir felicidade, fora algumas instruções mais técnicas.  A regra era postar a foto com o nome e a turma do(a) seu(a) autor(a), além da hashtag oficial do evento. A ganhadora, que conquistou o maior número de curtidas na foto (53 likes) até o final das atividades, foi a aluna Barbara Elyza do Amaral, 15 anos, premiada com uma bola de vôlei.

Jogos acirrados animam adolescentes do projeto Vôlei em Rede durante competição realizada no Núcleo Central – Curitiba/PR.
Jogos acirrados animam adolescentes do projeto Vôlei em Rede durante competição realizada no Núcleo Central – Curitiba/PR.

Para os jogos foram inscritas seis equipes femininas e seis masculinas. As partidas foram disputadas em três áreas diferentes com sets de 25 pontos, sem a diferença de dois pontos. O professor Alexandro explicou que os próprios alunos ficaram responsáveis por preencher as tabelas dos jogos para que desenvolvessem a autonomia, ensinada intencionalmente nas aulas dessa categoria. De acordo com a professora Rosana, a garotada também praticou esse valor na hora de escolher os capitães dos times, realizar as substituições, os pedidos de tempo e optar pelas melhores estratégias do jogo. A competição foi acirrada e bem animada, o que agradou a garotada. “Os jogos foram bem equilibrados, todas as equipes estavam boas!”, avaliou o aluno Bruno Bertholazo, 14 anos. A arbitragem foi realizada por ex-alunos voluntários.

Oficina sobre crimes cibernéticos conta com quiz interativo.
Oficina sobre crimes cibernéticos conta com quiz interativo.

Paralelamente ao torneio, os alunos ainda participaram da oficina de crimes cibernéticos, na qual puderam aprender um pouco mais sobre os cuidados que devem ter ao utilizar a internet, algumas medidas de segurança, curiosidades e até dicas de como se comportar no meio on-line para não cometer gafes, inclusive na hora de conquistar o primeiro emprego. Na oportunidade, os adolescentes participaram de um quiz interativo com perguntas sobre o tema.

Parceiros do projeto Vôlei em Rede – Núcleos Paraná: Governo do Paraná e via Lei Federal de Incentivo ao Esporte: Unilever, Klabin, Ministério do Esporte e com apoio da Sanepar.

Fotos: Divulgação IC.

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.